domingo, outubro 28, 2007

EBOOK - MKT DE RELACIONAMENTO

O Blog P&M tem mais um inédito e excelente e-book para os profissionais de marketing, comunicação e publicidade.

Marketing de Relacionamento: Conceitos e desafios para o sucesso do negócio por: Danny Pimentel Claro

Visite a Biblioteca Virtual do Blog e saiba como receber este e-book inteiramente de graça.

MARKETING DE RELACIONAMENTO

O QUE É MARKETING DE RELACIONAMENTO?
UMA VISÃO BEM DESCRITIVA E ÚTIL!


Uma das mais comentadas e concentradas ramificações do marketing atual é o aspecto do relacionamento, ou em termos técnicos o chamado CRM – Customer Relationship Management, uma nova face dos negócios, um conjunto de oportunidades estratégicas, no qual o consumidor torna-se o centro de toda atenção da organização em tempo integral.

É através do marketing de relacionamento, que as organizações podem projetar e lançar ações voltadas aos clientes, buscando sempre que estes tornem-se cada vez mais próximos de seus produtos e/ou serviços, de forma a utilizá-los e recomendá-los a inúmeras pessoas, pois indiretamente e imperceptivelmente, reconhecem o valor e o esforço a eles disponibilizado por aquela empresa, que a todo momento se preocupa com seu bem estar e atende prontamente suas solicitações.

Porém, sabemos que todo relacionamento requer um conhecimento, e aí é que mora o perigo. Cada vez mais, os consumidores estão perdendo sua privacidade, pois preenchem constantemente intermináveis formulários, onde as organizações buscam extrair ao máximo os dados pertinentes sobre aquela pessoa. Do ponto de vista mercadológico, isso é ótimo, mas este tipo de ação deve ser realizada com muito cuidado e pudor, já que estas infindáveis fichas não podem criar, junto ao cliente, um constrangimento a ponto de fazê-lo sentir-se exposto a uma situação inesperada.

Explorar o conhecimento é imprescindível para a realização do marketing de relacionamento, mas saber coletar e trabalhar os dados é uma outra história, que se não realizada de forma profissional, poderá acarretar em inúmeros prejuízos para as organizações que possuem este tipo de prática.

O relacionamento é uma forma presente no sistema de comercialização, pois faz parte do processo existente na venda, em suas três fases: pré-venda, venda e pós-venda, sendo nestes estágios que o trabalho começa. Com o conhecimento sobre os hábitos e costumes de seu cliente é, que você pode antever-se a qualquer ação, surpreendendo e fazendo-se presente em seu cotidiano. Com os dados em mãos, você poderá oferecer ou até mesmo realizar a manutenção de compra de seu cliente, pois você possui as informações, históricos de grande valia que tornam sua comercialização mais personalizada, mais próxima e informal.

Mas este tipo de relacionamento ainda não é muito praticado em inúmeros segmentos, o que faz com que essas empresas venham perder espaço no mercado. Um exemplo clássico por mim presenciado, está relacionado a uma pizzaria de Santo André, no grande ABCD paulista. Um amigo, tem o costume de comer pizzas pelo menos três vezes por semana. Com este hábito, tem preferência por uma pizzaria perto de sua casa. Com isso, ao sair de seu trabalho diário, liga para sua casa para que seus familiares façam o pedido, para que, ao chegar, sua pizza já esteja ali, pronta para o consumo. Este hábito se repete a meses, chegando ao ponto da atendente chamá-los pelo nome e não solicitar mais o endereço para a entrega.

Engana-se porém, quem pensou que esta empresa está praticando um marketing de relacionamento eficiente. Isto pode ser percebido pela sua forma de atuação, ela não realizou um cadastro formal junto ao cliente e nem sequer possui um histórico de consumo, pois o pedido dos sabores sempre é questionado, havendo hábito de consumo deste cliente. Em nenhuma ocasião, esta pizzaria ligou até a casa ou mesmo no celular deste consumidor, em dias potenciais de consumo, para oferecer-lhe alguma promoção, algum sabor diferenciado, ou mesmo pedir uma sugestão.

O que isso nos mostra? Ao passo que este consumidor venha a conhecer um outro estabelecimento, que possua uma qualidade nos produtos semelhantes a este, mas que pratique um serviço diferenciado, este venha a migrar, deixando de lado a antiga, possivelmente não mais realizando seus pedidos lá.

Perder clientes é uma tarefa extremamente fácil, o mercado é muito competitivo e inúmeras empresas estão surgindo com uma mentalidade mais avançada e com cuidado junto ao seu mercado, como um todo. Criar sistemas de fidelidade é um passo importante para que as empresas não tenham a todo momento, que passar por dificuldades, pois desta forma poder-se-á planejar ações preventivas que auxiliarão em um processo organizacional constante.

Este é um exemplo entre muitos, ocorridos diariamente comigo e com você. Quem nunca passou por uma situação como esta, mesmo que de forma passiva? São locadoras de vídeo que cadastram nosso histórico e nem por isso nos mandam promoções e lançamentos de segmentos de filmes que gostamos... postos de gasolina que costumamos abastecer, que nem sequer realizam um cadastro para saber quem somos, apenas marcam nossas placas para que se precisarem posteriormente, correr atrás de um cheque sem fundo, tenham a possibilidade de nos encontrar.

Tudo isso ocorre freqüentemente e diariamente em nossas vidas e como vimos, não está a cargo das grandes organizações este tipo de prática, mas sim a todo o mercado, principalmente para aqueles menores estabelecimentos que necessitam muito conhecer seus consumidores, pois sofrem constantemente a influência dos grandes concorrentes, mais fortes em preço, atendimento, diversidade de produtos e serviços.

Desta forma, é importante ressaltar que, a tônica do mercado em um futuro próximo, está voltada aos serviços, isso porque produtos são lançados e aperfeiçoados constantemente, com inúmeras marcas e variações de preços, o que ressalta ainda mais a importância dos serviços, pois é através deste que surgirão os diferenciais, os aspectos positivos que tornarão os consumidores adeptos ao consumo de determinados produtos.

Por isso, oferecer mais do que o esperado, surpreender, é extremamente importante para que as diferenciações sejam notadas e para que os clientes tornem-se cada vez mais propensos a adquirir seus produtos e/ou serviços, por motivos estes, que vão além do aspecto material, originados de fatos inconscientes e motivadores, que tornam sua marca evidenciada e extremamente valiosa, pois ocupa uma posição de destaque no mercado, a mente do seu consumidor.

O Marketing de relacionamento era, antigamente, visto como algo que a empresa fazia com seus clientes, era manter-se em contato. Era a aplicação simples e direta da máxima:

"Quem não é visto não é lembrado."

Este marketing de relacionamento é (era?) praticado visando estabelecer, de forma permanente, contato entre a empresa e os seus clientes, com o objetivo de facilitar novos relacionamentos comerciais (compras repetidas por parte do cliente).

Hoje, o marketing de relacionamento é visto como algo mais amplo. O objetivo continua o mesmo, mas a forma de atuação ampliou-se pela simples compreensão de como as relações se estabelecem na sociedade, e, portanto, no mercado.

A sociedade em que vivemos (e onde as empresas atuam) é constituída de uma rede de relacionamentos.

O ser humano é gregário por excelência, vive em comunidade, estabelece - cada um - sua rede de relacionamentos, não é mesmo?

Se retirarmos os relacionamentos da nossa sociedade viraremos um bando de eremitas, cada um solitário em seu canto. Perderemos a força das especializações, dos talentos individuais, pois todos, e cada um, terão que produzir tudo para o seu sustento e saúde!

A especialização leva ao aumento de produtividade.

Com as empresas não é nem um pouco diferente.

O marketing de relacionamento é ainda algo feito com os clientes, muito embora essa seja só uma parte dele.

O marketing de relacionamento foi acrescido das múltiplas redes de contatos, suas interações e influência, com e através de todos aqueles que se relacionam com a empresa.

Quem são as pessoas que se relacionam com a empresa e que meios podem fazer parte de uma rede de interações e influência:

CLIENTES
- os clientes diretos da empresa. Estes podem ser subdivididos em clientes já existentes e clientes novos, pois exigem abordagens diferentes.

- Há ainda outra possibilidade, o marketing de relacionamento com os clientes dos nossos clientes, no caso de B2B, necessário para que ajudemos os nossos clientes a criar valor aos seus clientes.

- O marketing feito nas recuperações de clientes insatisfeitos.

- A criação de Ouvidoria e Conselho de Clientes.

EMPREGADOS
- Os empregados devem ser os primeiros a fazer comentários favoráveis em sua rede de influência.

Este trabalho difere do "endomarketing", pois enquanto este visa fazer o empregado encantado para que ele posso produzir melhor, aquele visa torná-lo uma fonte de referências positivas para a empresa e para o que ela produz.


Podemos separar também os empregados em dois tipos: aqueles que podem trabalham o tempo todo com marketing de relacionamento dentro e fora da empresa (pessoal de contato com o público e pessoal da área de marketing) e aqueles que exercem esse papel somente fora da empresa, em sua rede de relacionamentos, na sua vida particular.

FORNECEDORES
- todos os fornecedores da empresa são outra poderosa fonte de referência e influência dentro do mercado.

RECRUTAMENTO
- O mercado de recrutamento - tanto aqueles que são admitidos, como aqueles que não foram admitidos - são outra forte fonte de influência dentro do mercado, incluindo a atuação de recrutamento desenvolvida dentro de escolas e universidades. O cuidado com os não admitidos, em tempos de crise, é ainda mais crucial para um marketing de relacionamento efetivo.

INTERMEDIÁRIOS
- Os intermediários que ajudam sua empresa a ser o que é, facilitadores tanto da linha de frente do que você produz ao mercado (distribuidores), como obtenção de redes de pessoas não diretamente ligadas à empresa, mas que possuem algum vínculo, temporário ou não.

INFLUÊNCIA
- Pessoas ou entidades que tenham atuação destacada ou importante na sua área de atuação, ou nas vizinhanças das suas instalações, podendo ser desde associação de bairros e igrejas, como grandes redes de comunicação.

POLÍTICO
10º - Governo, legisladores e juízes e entidades reguladoras (os Três Poderes).

FINANCEIRO
11º - As entidades financeiras e os acionistas.

ENTENDENDO O MKT DE RELACIONAMENTO

Os profissionais de sua empresa reconhecem o que é Marketing?

Os profissionais de sua empresa praticam Marketing?

Os profissionais de sua empresa sabem o que é Marketing de Relacionamento?

Em geral as pessoas associam Marketing à propaganda. Marketing é muito mais que isso. Se formos à origem da palavra vamos encontrar no latim - Mercari - que significa o ato de transacionar, comercializar, trocar.

Diversas definições são expressas para conceituar a grandiosidade do Marketing:

Para o guru Philip Kotler "Marketing é a arte de descobrir oportunidades, desenvolve-las e lucrar com elas". Segundo ele mesmo afirma, Marketing só faz sentido se for com lucro.

Neste momento, no entanto, vamos utilizar a definição de Al Ries, outro especialista que conceitua: "Marketing é criar MARCA na mente do cliente".

Todos os momentos em que um cliente ou prospect estiver em contato com nossa organização, serão momentos privilegiados de praticar marketing no sentido de "construir uma marca em sua mente". Uma coisa é certa: tudo que fazemos, de bom ou de ruim é percebido pelo cliente.

Quantos de nossos funcionários entendem verdadeiramente este significado e se empenham de forma contumaz em práticas diárias no sentido de construir marcas positivas na mente do cliente? Qual é o nível de "intimidade" que temos com nosso Cliente? Sim porque também podemos estar construindo marcas negativas.

Marketing de Relacionamento é: "um conjunto de ações, de responsabilidade dos profissionais que atendem, direta ou indiretamente os CLIENTES, de forma criativa e rentável, capaz de AGREGAR VALOR aos CLIENTES EXTERNOS" e resultados para a Organização.

A preocupação do profissional de marketing deve ser permanente no sentido de:

- Reconhecer que todos nós somos responsáveis pelos Clientes;

- As relações Cliente e Fornecedor estão mudando;

- Nós estamos mudando;

- O processo de atender Clientes e gerar resultados está mudando;

- Nós atendemos diretamente o Cliente, ou atendemos a alguém que atende o Cliente.

- Todos nós somos responsáveis em criar marcas positivas na mente dos clientes e o Marketing de Relacionamento é esse instrumento.

Pense, reflita e encontre os passos a serem realizados por você e sua empresa diante do mercado. Diferencie-se, torne-se produto das ações por você realizadas e lembre-se:

“Programas de marketing de freqüência devem se utilizar das oportunidades oferecidas pela identificação dos seus clientes, para assim saber quem são os clientes de maior valor e de maior potencial, para que assim possam ser desenvolvidas ações inteligentes, através de uma relação de constante aprendizado, pois é através deste ponto que a organização muda o seu comportamento frente aquilo que aprendeu a respeito de seus clientes, personalizando aspectos do serviço e produto. Afinal, a única vantagem competitiva real é o conhecimento que você e sua empresa possuem de seu cliente, fato este, que seus concorrentes não tem.”

A CRIAÇÃO DO RÁDIO

QUEM INVENTOU? LEIA E VOCÊ TERÁ UMA SURPRESA!


Ao ser ordenado sacerdote em 1886, em Roma, o gaúcho Roberto Landell de Moura (1861-1928) não tinha idéia do que viria pela frente. Mesmo com grande interesse pela física e pela eletricidade, ainda se passariam vários anos até que suas importantes experiências públicas fossem feitas, já em território brasileiro.

Em 3 de junho de 1900, o também cientista fez uma demonstração em que transmitiu som a distância sem o uso de fios. “No domingo próximo passado, no alto de Santana, na cidade de São Paulo, o padre Landell de Moura fez uma experiência particular com vários aparelhos de sua invenção. No intuito de demonstrar algumas leis por ele descobertas no estudo da propagação do som, da luz e da eletricidade através do espaço, as quais foram coroadas de brilhante êxito. Assistiram a esta prova, entre outras pessoas, o sr. Percy Charles Parmenter Lupton, representante do Governo britânico, e sua família.”

A notícia, publicada pelo Jornal do Commercio, em 10 junho de 1900, não deixa dúvidas de que os estudos desenvolvidos pelo jesuíta deram bons resultados. Depois de São Paulo, a cidade de Campinas presenciou as demonstrações públicas do cientista.

Apesar da figura de Landell de Moura ter sido bastante mitificada ao longo do tempo – muito foi dito sobre a sua excentricidade, por exemplo –, pesquisadores brasileiros que se debruçaram sobre a questão da invenção do rádio, de forma bastante apartidária, são conclusivos em suas afirmações. É o caso, por exemplo, de César Augusto dos Santos, autor de Quem inventou o rádio? (Clio Livros, 2001).

Santos compara os estudos do padre gaúcho com as do italiano Guglielmo Marconi (1874-1937), que também na virada do século 20 desenvolveu pesquisas pioneiras no campo da radiofusão.

“As diferenças técnicas entre as invenções dos dois cientistas são: Marconi patenteou na Inglaterra, em 12 de setembro de 1896, somente a transmissão-recepção eletrônica por centelhamento dos sinais telegráficos em código Morse”, diz Santos, que se apóia em trabalhos de especialistas no assunto como Otto Albuquerque, autor de En el aire: La luz que habla (Feplam, 1993).

Landell de Moura, por sua vez patenteou, no Brasil, em 9 de março de 1901, um sistema fotônico-eletrônico. “Dessa forma, o cientista brasileiro inovou, em relação à patente de Marconi, a prioridade na transmissão-recepção mundial da palavra, ou fonia, em emissão fotônica-eletrônica, até então sem patentes mundiais”, diz Albuquerque.

Tanto para Albuquerque como para Santos, Marconi e Landell de Moura não fizeram experiências iguais, mas semelhantes. “Ao fazer suas transmissões publicamente em São Paulo, o padre-cientista foi o primeiro radioamador em telegrafia fonia e o primeiro comunicador da radiofusão com a continuação dos contatos no país e exterior”, afirma Santos, atualmente professor da Universidade de Passo Fundo.

As semelhanças entre o pesquisador brasileiro e o italiano param por aí. E, talvez, as diferenças que surgiram a partir de então tenham determinado o fim da história.

Marconi teve uma visão muito mais empresarial e, além disso, encontrou na Europa uma cultura favorável à invenção.

Por sua vez, Landell de Moura, depois de até mesmo conseguir obter patentes de sua invenção nos Estados Unidos – para, posteriormente, abrir mão delas –, não teve apoio do governo brasileiro na época.

* fonte - agência FAPESP

quinta-feira, outubro 25, 2007

WOW! Cria para Boticário

A WOW! Below The Line foi a agência escolhida para desenvolver a campanha de dia dos namorados internacional do Boticário.


As peças e enxoval de ponto de venda irão levar a marca para 21 países diferentes, com o objetivo de promover as vendas e posicionar os produtos do Boticário como o presente ideal para a ocasião.


WOW! Below the Line

(41) 3525 6076

Meio & Mensagem Regional Sul


A integração do mercado publicitário nos três estados

é refletida em edição especial

Percebendo a integração do mercado publicitário no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, este ano o Meio & Mensagem inova e traz o especial Regional Sul, que será publicado no dia 26 de novembro. Diferente dos outros anos, quando cada estado tinha sua própria publicação, agora a novidade é a unificação, já que a interatividade de empresas e agências nos três estados da região é cada vez mais evidente.

Um dos temas abordados será o processo de nacionalização das empresas na região, que atravessam fronteiras em busca da expansão dos seus negócios. Também serão apresentados dados econômicos e perfil com hábitos e costumes dos consumidores, o impacto da movimentação dos fornecedores como gráficas, produtoras e empresas de eventos.e suas estratégias.

Assim como nos especiais de cada região, agências, anunciantes, mídia e fornecedores também são destaque. O especial traz ainda a busca de novos mercados e as estratégias adotadas por diversas agências que estão abrindo filiais e fazendo associações com grupo multinacionais de comunicação.

Exemplos de anunciantes do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, que vêm conquistando não somente o mercado nacional, mas inclusive o internacional, também serão apresentados no Especial. Assim como os investimentos dos veículos em relação a TV e a Rádio digitais, o especial Regional Sul mostrará o atual cenário do setor, que promete competitividade cada vez mais acirrada.

Os espaços publicitários para este especial já estão sendo comercializados, sendo que o fechamento da edição será no dia 1º de novembro. No Paraná e Santa Catarina, o Meio & Mensagem é representado pela Resultado Consultoria. Para saber mais sobre o Regional Sul, basta entrar em contato através dos telefones (41) 3014-8887 - (48) 3025-1317 ou do e-mail atendimento@consultoriaresultado.com.br.

terça-feira, outubro 23, 2007

E-BOOK - TEORIA DAS CORES

LANÇAMENTO EXCLUSIVO

O Blog P&M coloca à sua disposição na Biblioteca Virtual um exclusivo e-book para profissionais de web design, publicitários e amantes de artes gráficas e softwares gráficos:


TEORIA DAS CORES

Um apanhado sobre as principais teorias de Isaac Newton e Leonardo da Vinci.

No e-book você terá ainda as aplicações práticas das cores no universo do design gráfico, na cromoterapia e no seu dia a dia.

Entre agora mesmo na Biblioteca Virtual e peça seu exemplar gratuíto.

Clique aqui>>>>>>>

A TELEVISÃO NO BRASIL

UM BREVE RESUMO DE SUA CRIAÇÃO

TV TUPI: A Pioneira !

Dezoito de setembro de 1950. Inaugurada a PRF-3 TV TUPI de São Paulo, primeira emissora de televisão do Brasil e da América Latina. Iniciativa do jornalista paraibano Francisco de Assis Chateaubriand.

Depois de poucos meses de treinamento, alguns radialistas escolhidos por Chatô lançaram-se à aventura de fazer TV. Os estúdios earm pequenos, o equipamento precário, mas o nascimento da TV Tupi foi solene. Assis Chateaubriand presidiu a cerinômia que contou com a participação de um frei cantor mexicano. José Mojica, que entoou "A Canção da TV", hino composto especialmente para a ocasião. Um balé de Lia Marques e declamação da poetisa Rosalina Coelho Lisboa, nomeada madrinha do "moderno equipamento" fizeram parte do show. A jovem atriz Yara Lins foi convocada especialmente para dizer o prefixo da emissora — PRF-3 — e o de uma série de rádios que transmitiam em cadeia o acontecimento. A seguir entrou a programação na tela dos cinco aparelhos instalados no saguão do prédio dos Diários Associados.

Há muitas histórias a respeito desse dia. Uma delas é que, empolgado, Chateaubriand teria quebrado uma garrafa de champanhe numa das duas câmeras RCA, fazendo com que a TV no Brasil entrasse em cena com apenas 500/o de sua capacidade, isto é: com apenas uma câmera. Outra é que, acabada a inauguração, a equipe se deu conta de que não havia o que colocar no ar no dia seguinte, pois ninguém havia pensado nisso.

O autor de novelas Cassiano Gabus Mendes que, aos 23 anos, assumiu a direção artística da Tupi, não podia ouvir essas histórias, desmentia quantas vezes fosse preciso. "É tudo invenção do Lima Duarte. Como ele é muito engraçado, as pessoas acabam se convencendo." dizia ele pouco antes de morrer, em 1994. "Chateaubriand era um homem esclarecido, não ia danificar equipamento e tínhamos programação para as três semanas seguintes".

Acostumados à improvisação e rapidez do rádio, os pioneiros não tiveram problemas em se adaptar ao moderno veículo e aprenderam muito: ator virava sonoplasta, autor dirigia, diretor entrava em cena. A TV TUPI dos primeiros anos era uma verdadeira escola. Aos poucos, os programas ganharam forma: o primeiro telejornal... a primeira novela.

O programa "TV DE VANGUARDA" revelou a primeira geração de atores, atrizes e diretores. Foram apresentadas peças como Hamlet, de Shakespeare, e Crime e Castigo, de Dostoievsky. Alguns programas dos primeiros tempos da TV TUPI tornaram-se campeões de audiência e permanência no ar: Alô Doçura, Sítio do Picapau Amarelo, O Céu é o Limite, Clube dos Artistas (que existiu de 1952 a 1980) e o famoso telejornal "O Repórter Esso" (que ficou 18 anos no ar).

Telenovela foi invenção da Tupi, que as exibia em capítulos semanais e era capaz de ousadias como mostrar beijo na boca. Foi em 1951, na novela Tua Vida Me Pertence, que Vida Alves deixou-se beijar pelo galã Walter Forster.

No jornalismo a emissora repetiu na tela o sucesso do Repórter Esso, que marcou época no rádio brasileiro a partir de 1941. Os locutores Heron Domingues e Gontijo Teodoro entravam no ar com as últimas noticias nacionais e internacionais ao som de um dos mais famosos prefixos musicais da história do rádio e televisão brasileiros.

Se durante a primeira década de sua existência a TUPI foi líder absoluta, nos anos 60 as emissoras concorrentes aprimoraram sua programação para lutar pela audiência.
Em 1968, a novela "Beto Rockfeller", de Bráulio Pedroso, revoluciona a linguagem da televisão. A partir da figura de um anti-herói, surge um novo estilo de interpretação, mais natural. A TV TUPI revela mais uma geração de talentos. A morte de Assis Chateaubriand, em 1968, marca o início de uma crise longa e sem solução. Abalada por problemas financeiros, mal administrada, sem investimentos, a TV TUPI perde qualidade e audiência.
As emissoras concorrentes vão ocupando os espaços vazios deixados pela pioneira. Ano após ano, a crise se aprofunda. No fim dos anos 70 a situação é incontrolável. Os salários estão atrasados. Há dívidas astronômicas junto à Previdência Social. Proliferam escândalos financeiros.
Em agosto de 1977, Éramos Seis. Cinderela 77 e Um Sol Maior registravam os mais baixos índices de audiência da história da Tupi. Além da audiência, a publicidade também escapolia para as concorrentes, o caixa se esvaziava, os salários deixavam de ser pagos e a greve era questão de tempo. Em outubro de 1977, com três meses de salários atrasados, os funcionários iniciaram a primeira greve, interrompida com o pagamento parcelado dos débitos.

Os constantes atrasos dos salários mantinham o clima tenso na Tupi. As perspectivas de pagamento dos atrasados eram cada vez mais remotas e as explicações dadas aos funcionários, cada vez mais inconsistentes. Para piorar ainda mais a situação, em outubro de 1978 um incêndio no prédio da emissora, em São Paulo, tirou a Tupi do ar por alguns minutos. No ano seguinte, o elenco de O Espantalho, de Ivani Ribeiro, processou a emissora por violação dos direitos autorais. Entre 79 e 80, nova greve. A crise chegou a Brasilia. O então presidente da República, João Figueiredo. se dispôs a receber uma comissão de dirigentes dos sindicatos envolvidos. Muito se discutia, pouco se fazia.

A greve persistiu até o início de fevereiro, quando a emissora fechou seu departamento de teleteatro e dispensou 250 funcionários. Foram interrompidas as novelas "Drácula" e "Como Salvar Meu Casamento", drama estrelado por Nicete Bruno e Adriano Reis.

Dezessete de julho de 1980. Pouco antes de completar 30 anos no ar, a TV TUPI tem sua concessão cassada pelo governo federal. Minutos antes do meio-dia de 18 de julho de 1980, três engenheiros do Departamento Nacional de Telecomunicações (Dentel) subiram ao décimo andar do edifício-sede da TV Tupi de São Paulo, na avenida Alfonso Bovero, no bairro do Sumaré, e lacraram o transmissor da emissora. Saíam também do ar a TV Tupi do Rio, a TV Itacolomi, de Belo Horizonte, a TV Marajoara de Belém. a TV Piratini de Porto Alegre, a TV Ceará de Fortaleza, e a TV Rádio Clube de Recife.

Um delegado da Polícia Federal e mais quatro agentes davam proteção aos engenheiros. Era o fim da TV Tupi. A emissora saía do ar exatamente 29 anos e dez meses depois de sua inauguração.

O governo militar preferiu a cassação a entregar o canal a uma cooperativa de funcionários. Permanece, entretanto, um acervo de duzentos mil rolos de filmes, 6.100 fitas de videotape e textos de telejornais que contam 30 anos de muitas histórias do Brasil e do mundo.

A HISTÓRIA DA TELEVISÃO

COMO FOI CRIADA ESTA MARAVILHA TECNOLÓGICA

A história da televisão deve-se a grandes matemáticos e físicos, pertencentes às ciências exatas que entregaram para as ciências humanas um grande e poderoso veículo. Desde o início do século XIX, os cientistas estavam preocupados com a transmissão de imagens a distância e foi com o invento de Alexander Bain, em 1842, que obteve-se a transmissão telegráfica de uma imagem (fac-símile), atualmente conhecido como fax.

Em 1817, o químico sueco Jons Jakob Berzelius descobriu o Selênio, mas só 56 anos depois, em 1873, que o inglês Willoughby Smith comprovou que o Selênio possuía a propriedade de transformar energia luminosa em energia elétrica. Através desta descoberta pôde-se formular a transmissão de imagens por meio de corrente elétrica.

Em 1884, o jovem alemão Paul Nipkow inventou um disco com orifícios em espiral com a mesma distância entre si que fazia com que o objeto se subdividisse em pequenos elementos que juntos formavam uma imagem.

Em 1892, Julius Elster e Hans Getiel inventaram a célula fotoelétricaum sinal elétrico. Em que transformou cada subdivisão em 1906, Arbwehnelt desenvolveu um sistema de televisão por raios catódicos, sendo que o mesmo ocorreria na Rússia por Boris Rosing. O sistema empregava a exploração mecânica de espelhos somada ao tubo de raios catódicos. Em 1920, realizaram-se as verdadeiras transmissões, graças ao inglês John Logie Baird, através do sistema mecânico baseado no invento de Nipkow. Quatro anos depois, em 1924, Baird transmitiu contornos de objetos a distância e no ano seguinte, fisionomias de pessoas. Já em 1926, Baird fez a primeira demonstração no Royal Institution em Londres para a comunidade científica e logo após assinou contrato com a BBC para transmissões experimentais. O padrão de definição possuía 30 linhas e era mecânico.

Nesse período, em 1923, o russo Wladimir Zworykin patenteou o iconoscópio, invento que utilizava tubos de raios catódicos. Em 1927, também Philo Farnsworth patenteou um sistema dissecador de imagens por raios catódicos, mas com nível de resolução não satisfatório. Zworykin foi convidado pela RCA a encabeçar a equipe que produziria o primeiro tubo de televisão, chamado orticon, que passou a ser produzido em escala industrial a partir de 1945.

Em março de 1935, emite-se oficialmente a televisão na Alemanha, e em novembro na França, sendo a Torre Eiffel o posto emissor.


Em 1936, Londres utiliza imagens com definição de 405 linhas e inaugura-se a estação regular da BBC. No ano seguinte, três câmeras eletrônicas transmitem a cerimônia da Coroação de Jorge VI, com cerca de cinqüenta mil telespectadores.

Na Rússia, a televisão começa a funcionar em 1938 e nos Estados Unidos, em 1939. Durante a Segunda Guerra Mundial, a Alemanha foi o único país da Europa a manter a televisão no ar. Paris voltou com as transmissões em outubro de 1944, Moscou em dezembro de 1945 e a BBC em junho de 1946, com a transmissão do desfile da vitória. Em 1950, a França possuía uma emissora com definição de 819 linhas, a Inglaterra com 405 linhas, os russos com 625 linhas e Estados Unidos e Japão com 525 linhas. Em setembro desse mesmo ano, inaugura-se a TV Tupi de São Paulo, pertencente ao jornalista Assis Chateaubriand, dono dos Diários Associados, com sistema baseado no americano. Em resumo pode-se dizer que a câmera de TV capta as imagens, decompondo-as em sinais elétricos que são mandados para um centro eletrônico, o modulador (aparelho que modula as ondas em um oscilador). Os sinais são enviados em forma de ondas por uma grande antena transmissora que é encaminhada ao aparelho receptor que desfaz os sinais, recompondo-os em sua disposição original, reproduzindo na tela a imagem transmitida. A formação da imagem é instantânea. O dispositivo eletrônico utiliza-se de pontinhos, aos invés de linhas, conseguindo desenhar o frame (imagem) inteiro a cada 1/25 de segundo. Para transmitir a imagem de um lugar para outro utilizou-se antenas, mas como as ondas são em linha reta ficou difícil transmitir para o outro lado do globo terrestre, devido a curvatura, buscando deste modo uma solução espacial. Em 23 de julho de 1962, a primeira transmissão via satélite, o satélite artificial Telstar, lançado pela NASA dos EUA.


Início das Transmissões em Cores

As transmissões regulares em cores, nos Estados Unidos, começaram em 1954. Mas já em 1929, Hebert Eugene Ives realizou, em Nova Iorque, as primeiras imagens coloridas com 50 linhas de definição por fio, cerca de 18 frames por segundo. Peter Goldmark aperfeiçoou o invento mecânico fazendo demonstrações com 343 linhas, a 20 frames por segundo, em 1940. Vários sistemas foram criados, mas todos iam de encontro a uma forte barreira: se um sistema novo surgisse, o que fazer com os aparelhos antigos preto e branco que já eram cerca de 10 milhões no início dos anos 50? Criou-se nos Estados Unidos um comitê especial para, no sentido literal, colocar cor no sistema preto e branco. Esse comitê recebeu o nome de National Television System Committee (também encontrado como National Television Standards Committee), cujas iniciais serviriam para dar nome ao novo sistema, NTSC. O sistema desenvolvido baseava-se em utilizar o padrão preto e branco que trabalhava com níveis de luminância (Y) e acrescentaram a crominância (C), ou seja a cor. O princípio de captar e receber as imagens em cores está na decomposição da luz branca em três cores primárias que são vermelho (R de red), o verde (G de green) e o azul (B de blue). Numa proporção de níveis de 30% de R, 59% de G e 11% de B. Na recepção o processo é inverso, a imagem se compõe através da somatória das cores no pixel, ou seja, nos pontos da tela do televisor.

Em 1967, entra em funcionamento, na Alemanha, uma variação do sistema americano, resolvendo algumas debilidades desse sistema que recebeu o nome de Phase Alternation Line, dando as iniciais para o sistema PAL. Nesse mesmo ano, entrou na França o SECAM (Séquentielle Couleur à Mémoire), mas não compatível com o sistema preto e branco francês. A primeira transmissão oficial em cores no Brasil ocorreu em 31 de março 1972. O desenvolvimento da TV foi tão grande que os canais disponíveis de VHF (very high frequency, freqüência muito alta) ficaram saturados, ampliando assim a utilização da faixa de UHF (ultra-high frequency, freqüência ultra-alta). Assim os fabricantes de televisores foram obrigados a construir um aparelho capaz de captar todos os canais para que os programas da faixa de UHF ficassem acessíveis.

quinta-feira, outubro 18, 2007

"EMPREGABILIDADE ESPM"

Perspectivas profissionais em comunicação é tema de palestra na ESPM





Evento reunirá especialistas das principais arenas

de negócios do País


Para apresentar as recentes mudanças na comunicação e as oportunidades de carreira para os futuros profissionais da área, a ESPM realizará entre 22 e 30 de outubro, o ciclo de palestras "EMPREGABILIDADE ESPM", aberto ao público e com entrada franca.


A iniciativa tem como objetivo esclarecer e apontar para os interessados em ingressar na área, quais as oportunidades de carreiras e empregos em comunicação social e as inúmeras opções profissionais que o setor oferece, principalmente nas áreas que mais absorvem os jovens egressos da ESPM como esporte, moda, varejo, a indústria cultural, publicidade, eventos e promoção, mídia e entretenimento consideradas arenas estratégicas de negócios.


Para isso, a ESPM realizará sete palestras que representam cada uma dessas áreas. As mesas serão compostas por um professor especialistas da ESPM, um reconhecido profissional do mercado e um ex-estudante atuante na respectiva área. Desta forma, os convidados apresentarão o panorama atual, as tendências da comunicação, o perfil do profissional desejado e, sobretudo, esclarecerão as principais dúvidas dos jovens com a visão de quem já está no mercado e acompanha perto todas as mudanças do setor.


EMPREGABILIDADE ESPM em Comunicação

O mercado está em alta. O levantamento realizado pelo Cintegra – Centro de Integração Aluno-Empresa da ESPM aponta que 82% dos formandos em Comunicação estão ativos (ou seja, em estudos, intercâmbios, troca de estágios, etc) e 65% estão efetivamente colocados no mercado formal de trabalho. Deste total, cerca de 79% estão nos departamentos de marketing e comunicação das empresas. Os setores que mais retêm os jovens egressos são as áreas consideradas como arenas da comunicação, ou seja, esportes, varejo, mídia e entretenimento, publicidade, a indústria cultural e a moda.

Em relação às oportunidades estágio os números também são otimistas. Do total de contratos de estágios assinados para alunos a partir do 5º semestre, cerca de 700 estudantes são do curso de Comunicação Social e, deste total cerca de 85% estão em empresas nos departamentos de marketing e comunicação e, apenas 15% em agências de publicidade.


Programação do Ciclo de Palestras


O evento começa em 22 de outubro, segunda-feira, com a “Arena do Esporte”. A palestra reunirá o o assessor da presidência do São Paulo Futebol Clube, João Paulo de Jesus Lopes e Patrick Schoenardie da Trick Móbile, sob mediação dos professores Licínio Motta e Cláudio Aidar, do Núcleo de Estudos do Esporte da ESPM.


No dia seguinte, terça-feira, será a palestra sobre a “Arena da publicidade” com a participação do gerente comercial da Microsoft, Marcelo Russomano e do ex-aluno Victor Marx, planejador da DM9DDB, com mediação da professora Ana Lúcia Fugulin.

Em 24 de outubro, quarta-feira, acontece à palestra “Arena de Eventos e Promoção” com Sandro Magaldi, da HSM, e a professora Clarisse Setion.

A “Indústria Cultural” é a quarta arena que acontece em 25 de outubro, quinta-feira, com a participação de Alexandre Treina, da ST2 Produtora e do professor de marketing cultural Otávio Ribeiro.

Em 26 de outubro, sexta-feira, é a vez da “Arena da Moda” com a participação do idealizador do site Carreira Fashion, Airton Embacher e do professor Sérgio Garrido , ex-aluno Ralph Choate, diretor de comunicação da Avanti Comunicação - house da C&A .

Na segunda-feira, 29 de outubro, a “Arena do Entretenimento” será representada pelo Diretor de Marketing da Time4Fun, Eduardo Barrieu, e do ex- aluno Marcelo Pacheco do canal ESPN e Disney com a mediação do professor Fernando Biagotti.

O Ciclo de Palestra será encerrado em 30 de outubro, terça-feira, com a “Arena do Varejo” com a participação da Gerente de Marketing do Wal-Mart, Regiane Machado, da ex-aluna Geovanna Oliveira, também do Wal-Mart, sob a mediação do professor e coordenador do Núcleo de Varejo da ESPM, Ricardo Pastore.

A entrada é franca e não é necessário fazer inscrição. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 5085-4600.


Informações – Ciclo de Palestras “Empregabilidade ESPM”

De 22 a 30 de outubro de 2007

Horário: 19h30 às 21h30

ESPM – Campus Prof. Francisco Gracioso

Rua Dr. Álvaro Alvim, 123, Vila Mariana

Informações: (11) 5085-4600

centralinfo@espm.br

www.espm.br

Vagas limitadas. Entrada Franca

AGÊNCIA FALA - VAGAS DE ESTÁGIO

A FALA!, agência fundada há pouco mais de 16 meses pelo publicitário Allan Barros, começa a receber a partir desta terça-feira, dia 16 de outubro, currículos de estudantes que queiramestagiar no departamento de planejamento da agência, comandado pela diretora Talita Zampieri.

Para participar do processo seletivo, é imprescindível que os estudantes estejam cursando a partir do quinto semestre de Propaganda e Marketing no início de 2008, sejam matriculados em faculdades reconhecidas pelo MEC e tenham disponibilidade para estagiar em período integral.

Além disso, agência busca estudantes dinâmicos, com facilidade em estabelecer distribuição de trabalho no tempo estimado e que tenham necessidade em aprender mais sobre assuntos relacionados ao seu trabalho diário. É desejável Inglês e Espanhol.

Os interessados devem enviar currículos para o e-mail: estagioplan@agenciafala.com.br até o dia 25 de outubro. O processo de seleção será concluído no início do mês de dezembro.


Sobre a FALA!.

A FALA! é uma agência de propaganda com forte vocação e experiência na área comercial. Fundada em abril de 2006 por Allan Barros, profissional que atuou durante 12 anos como diretor de marketing de grandes redes de varejo, a agência tem como objetivo principal influenciar o cenário de vendas dos clientes, aumentar sua participação e ser uma verdadeira parceira de negócios, em qualquer que seja o ramo de atuação.

Com escritórios em Belo Horizonte, Salvador e Porto Alegre, além da sede em São Paulo, a agência conta com mais de 160 colaboradores, sendo que só em São Paulo são aproximadamente 100 funcionários.

Adquirida pelo Grupo Total em setembro de 2007, é uma das agências que mais cresce no mercado publicitário brasileiro.

terça-feira, outubro 16, 2007

A LÓGICA DA VENDA

Ebook

Mais um excelente ebook para você aprimorar suas técnicas de vendas e saber como conduzir negociações em situações diversas.

No varejo do século XXI é necessário você aprender a planejar e desenvolver técnicas de vendas diferenciada.

Acesse agora a Biblioteca Virtual do Blog P&M e saiba como receber este e outros interessantes livros gratuítamente.

CÓDIGO DE ÉTICA - MARKETING PROMOCIONAL

ASSOCIAÇÃO DE MARKETING PROMOCIONAL


Estou disponibilizando em nossa Biblioteca Virtual o Códido de Ética publicado pela AMPRO.

Espero que seja modelo e espelho não somente para quem trabalha com promoção mas para todas as áreas da comunicação, propaganda e marketing.

O Código de Ética no site da Ampro está desmembrado por isso remontei os arquivos e editei num único pdf para facilitar sua leitura.

Clique no logo e entre direto na Biblioteca Virtual do Blog P&M.


segunda-feira, outubro 15, 2007

MARKETING PROMOCIONAL E PDV

FERRAMENTAS DE MARKETING

Esta semana dando continuidade à série de artigos sobre Ferramentas de Mkt vou retomar o assunto Marketing Promocional pois, na pesquisa feita aqui no Blog P&M a busca por assuntos mais procurados revela que a Promoção de Vendas e Ações no PDV tem sido os campeões de audiência.

Como os novos artigos são extensos eu separei novamente por tópicos de relevância.

Acompanhe e opine.

Abraços,

George Geara

A IMPORTÂNCIA DO PDV

Já não é de hoje que se apregoa a importância das ações no PDV.


Aquela história de que mais de 2/3 das decisões de compra acontecem no PDV não é novidade. O que percebemos agora é um movimento mais sólido, tanto da parte dos clientes como das agências.

Nos clientes, as estruturas de Trade Marketing ganham peso e verbas: na pesquisa realizada pela AMPRO, as ações no PDV estão no topo do ranking de atividades de Marketing Promocional mais planejadas para o futuro.


Faltam profissionais especializados


Fala-se muito da carência de profissionais especializados no Marketing Promocional.

Praticamente inexistem cursos de formação na área.

Em pesquisas realizadas, identificou-se que há 443 cursos de Publicidade e Propaganda, 341 de jornalismo, 131 de RP e, aparentemente, apenas 1 de Marketing Promocional.

Constata-se porém uma crescente glamourização da atividade com conseqüente aumento de interesse de profissionais que migram da Propaganda para a área, mas a formação acontece mais “na raça”, na prática, na luta do dia-a-dia.

Sempre que posso, tenho motivado estudantes indecisos a acreditarem no potencial do Marketing Promocional.

Com certeza, teremos uma onda de interesse crescente vindo por aí.

AGÊNCIAS DE MKT PROMOCIONAL

Agência de Marketing Promocional: protagonista ou coadjuvante?


Antes soberanas no marketing mix e com assento garantido à mesa do planejamento estratégico de comunicação e marketing dos clientes, as agências de propaganda se defrontam com nova realidade: os clientes não aceitam mais propostas carregadas de investimento em mídia tradicional.

Um CEO de uma grande empresa certa vez se posicionou de uma forma definitiva perante suas agências: “Eu não sou um anunciante.

Eu sou fabricante de bens que precisam encontrar destino em consumidores, de forma a garantir rentabilidade da minha empresa. Os meios para isso são os mais variados e não devemos apenas pensar em anunciar.”

Posturas como esta fazem as agências de propaganda se auto denominarem de outras formas, tais como: Comunicação Integrada, Full Service, 360° e por aí afora.

Mas o problema é que entre a promessa e a prática existe um abismo.

Não é fácil sair dos processos repetitivos e rentáveis da Propaganda e partir para ações multifacetadas e complexas do Marketing Promocional.

As agências tradicionais – de Propaganda – até podem ter boas idéias no campo do Marketing Promocional, mas, ao tentarem praticá-las com suas próprias forças, têm uma enorme chance de fracasso.

A pesquisa da AMPRO mostra que 78% dos clientes acham que Promo não é um negócio das agências de Propaganda.

Mas é preciso que as empresas, antes anunciantes e agora contratantes de soluções completas de marketing, encontrem nas agências de Marketing Promocional seus parceiros ideais do planejamento estratégico de Marketing.

Para que passem de coadjuvantes ou caudatários das agências de propaganda, os players do Marketing Promocional mais ambiciosos precisam se posicionar como capazes de liderar, sim, um planejamento global, centrado em soluções e atividades que priorizem a ativação e o engajamento e não somente comuniquem marcas e produtos.

Se a atenção – e verba – do cliente está maior em atividades de Marketing Promocional do que em Propaganda, é natural pensar que as agências mais estruturadas do segmento possam, sim, tornar-se protagonistas no Marketing Mix.


Seguem abaixo alguns exemplos de agência de mkt promocional:

- Promoção full service

- Especializadas

- Comunicação Integrada (com foco em Promo)

- Comunicação Integrada (com foco em Propaganda)

- Serviços de Marketing

- Grupo full service (com especializadas sob seu “guarda-chuva”)

A conclusão, no entanto, é que o modelo ideal ainda é uma incógnita e espera-se ainda muita “bateção de cabeça” por aí.


FERRAMENTAS DE MARKETING PROMOCIONAL

As Ferramentas

É importante frisar que os princípios aqui delineados aplicam-se a todas as técnicas, meios e instrumentos utilizados pelo marketing promocional, em todos os níveis, referindo-se a todas e quaisquer campanhas que envolvam:

- Promoções com distribuição gratuita de prêmios, através de concursos, sorteios, vales-brindes ou operações semelhantes;

- Ações constituídas de ofertas, descontos, liquidações, trocas, coleções, amostras grátis, brindes, vendas condicionadas com quaisquer itens acoplados a produtos, prêmios;

- Ações de demonstrações, degustações e amostragens;

- Atividades de marketing de incentivo: concursos de vendas e programas de incentivo à produtividade e desenvolvimento de produtos e serviço para efetivação dos programas de incentivo;

- Eventos de qualquer natureza, incluindo os de lançamento de produtos, corporativos, sociais, culturais e esportivos;

- Produtos, equipamentos e serviços para realização de eventos de todos os portes.

- Organização e implementação de feiras, exposições, convenções, seminários, reuniões, encontros, fóruns, simpósios, congressos, cursos, festivais, gincanas, desfiles, festejos, efemérides, certames, shows, patrocínios, copas, circuitos;

- As atividades de in store marketing em geral;

- Cuponagens, material de literatura e promocional de ponto-de-venda;

- Projetos de embalagens, marcas, logotipos, logomarcas, símbolos, programação visual e demais peças que envolvem os produtos;

- Identidade visual corporativa;

- Ações de merchandising e Materiais de PDV;

- Atividades de coordenação de assessoria de imprensa e relações públicas;

- Atividades de Marketing de Relacionamento, incluindo gerenciamento e coordenação de marketing direto, DBM, CRM, telemarketing, call e contact center;

- Programas de Marketing esportivo, cultural e social;

- Coordenação e gerenciamento de diversos tipos de Pesquisa;

- Trabalhos de endomarketing;

- Internet e sua utilização na área;

- Criação de Brindes, gimmicks, produtos interativos/virtuais;

- Recursos humanos e tecnológicos especializados.

MARKETING PROMOCIONAL

Afinal, o que é Marketing Promocional?

A definição adotada pela AMPRO é: Atividade do marketing aplicada a produtos, serviços ou marcas, visando, por meio da interação junto ao seu público-alvo, alcançar os objetivos estratégicos de construção de marca, vendas e fidelização.

Mas fica patente a confusão de terminologias e conceitos junto ao público contratante ou mesmo entre as agências especializadas. Antes, ninguém tinha vergonha de ser uma agência de Promoção de Vendas. Hoje, isso parece pouco, embora, paradoxalmente, nunca se valorizou tanto o resultado, o ROI e, em última instância, o objetivo incremento de vendas gerado por uma atividade promocional.

Por outro lado, alguns termos ainda utilizados por parte do mercado são abominados. Exemplos: below the line, no media, no advertising. Afinal, quem, em sã consciência, quer ser chamado de no ou below.

Uma proposta de nova denominação para o que fazemos, lançada por um dos painelistas, parece merecedora de uma atenção especial: Marketing Services ou Serviços de Marketing. Aliás, é assim que os grandes grupos internacionais começam a chamar suas agências “no” advertising.


Não há dúvida: o Marketing Promocional é a bola da vez


Alguns dados apresentados no encontro confirmam o que o mercado já deixa transparecer: o Marketing Promocional está em ebulição. Só para citar alguns:
- Estima-se que os investimentos no Marketing Promocional devem superar R$ 23 Bilhões em 2007.

- O número de agências especializadas passou de aproximadamente 168, em 2006, para 220, em 2007.

- Em pesquisa realizada pelo Ibope Solutions, sob encomenda da AMPRO, 68% dos decisores de Marketing declararam intenção de aumentar investimento em atividades do Marketing Promocional.


quinta-feira, outubro 11, 2007

FERIADÃO À VISTA

DESCANSAR É PRECISO!

Olá moçada.

Amanhã é feriado no Brasil.

Mais um desses feriados que não tem sentido num País que precisa trabalhar mais do que 8 horas por dia e mais do que 5 dias por semana.

Um feriado religioso onde até ateus tem que se submeter.

Para muitos um dia de trabalho faz muita falta no faturamento mirrado do final do mês, quem dirá 3 dias seguidos.

E o Blog P&M acompanha a galera.

Vamos deixar vocês descansarem um pouco mas, os posts, artigos, textos e ebooks continuam aqui para sua pesquisa e leitura.

Aproveite estes dias para navegar de forma mais profunda por todo o Blog, nos artigos postados em meses anteriores e em 2006.

Realmente tem muito assunto interessante.

Aqui vai minha recomendação pro feriadão.

Depois da praia ou da piscina, ligue seu PC, venha para o Blog e deixe em background rolando o som gostoso da Antena1.

Não se esqueça de visitar nosso patrocinadores do anúncios azuis do Google e também as ofertas de eletrônicos da SafariShop.

Agindo desta forma você ajuda, com alguns cliks apenas, a patrocinar o Blog.

Abraços a todos,

George Geara - Editor

JAZZMASTER DE FERIADÃO

Querido ouvinte

Não perca o programa deste sábado..Está realmente impecável. Pra começar tem a nova do Terry Callier produzida por Jean Paul Maunick. Tem a eterna "Love Ballad" de George Benson. E uma Carmem Rodgers de arrepiar.

1.Terry Callier - We are not alone
2.Sheree Brown - It's a pleasure
3.Towa Tei feat Joi Cardwell - Luv connection
4.Chic - So fine
5.Metropolitan Jazz Affair feat Adrien Sacerdoti - Roaming
6.George Benson - Love Ballad
7.Carmen Rodgers - The way (I want to touch you)
8.Mary Jane Girls - All Night Long
9.Adriana Evans - All for love
10.RH Factor - Strenght
11.Nate James - Funkdefining
12.Gil Scott-Heron - The Needle's eye


Grande abraço,
Paulo Mai e Sérgio Scarpelli

-----------------------
Destaques no site: Saiba sobre os novos projetos do produtor Will I Am e sobre o novo álbum do Seal que sai em novembro.
Acesse - www.jazzmasters.com.br

-----------------------


Eldorado FM - 92,9 São Paulo-SP
Sábados, às 20h
De segunda à sexta - 2 edições diárias, 10h35/14h35

Transamérica Light FM - Curitiba-PR 95,1 - Estrela-RS 102,9 -
Rosário do Sul-RS 97.9
Sábado, às 21h

Litoral FM - 91,9 Santos e Litoral Sul
Sábado, 21h e Quinta, às 21h

Beira Mar FM - 102,7 São Sebastião - 101,5 Ubatuba
Domingos e quartas, às 20h

Calypso FM - 106,7 Fortaleza-CE
Todos os sábados, às 19h


quarta-feira, outubro 10, 2007

Sinc lança estágios de verão

Não é só o verão que começa em novembro: novas carreiras também

Com o objetivo de criar oportunidades para a nova geração da era digital, onde profissionais das áreas de tecnologia, comunicação e telecomunicação trabalham juntos, a Sinc lança ação para selecionar estagiários.

A campanha com o tema "Estágio de Verão" oferece 20 vagas de estágio nas áreas de Atendimento, Planejamento, Criação, Tecnologia, Mídia, Comunicação Corporativa e Gestão de Projetos.

Na primeira fase da campanha, serão recebidas inscrições pelo www.sincd.com.br até 26 de outubro. Entre 29 de outubro e 1º de novembro, os currículos serão analisados e pré-selecionados para entrevistas, que ocorrerão entre 05 e 09 de novembro. O resultado será divulgado entre os dias 12 e 14 de novembro e os selecionados iniciarão o programa em 21 de novembro, primeiro dia de verão.

A divulgação da campanha acontece nos mais importantes sites de emprego e em mais de 20 faculdades da Grande São Paulo, através de cartazes especialmente criados.

No site da Sinc (www.sincd.com.br) há uma área exclusiva com informações do programa e onde os candidatos podem se cadastrar. Vale mencionar que o programa começa com estágios, mas a Sinc pretende aumentar sua equipe, qualificando estes novos profissionais.


Sobre a SINC

A Sinc - Na Era Digital é a nova agência dos sócios Roberta Raduan e Alon Sochaczewski. A empresa criada em março deste ano, é fruto da compra das ações da Euro RSCG 4D. Mais que um nome, SINC é um verbo: sincar, trocar. Seus profissionais acreditam que a comunicação se dá em 2 vias, onde as marcas se relacionam verdadeiramente com seus consumidores e usuários. Na carteira, a Sinc tem clientes de peso, como a FEMSA (Kaiser, Bavaria, Sol e Xingu), TIM, Dufry (Programa de Relacionamento), Hospital Albert Einstein e casa.com.br (Grupo Casa - Abril).

Na estante, mais de 300 prêmios lembram 10 anos de estrada e de sucesso no mundo digital. Por tudo isso, a Sinc - Na Era Digital nasce como uma das maiores agências digitais do Brasil e uma das mais criativas do mundo.

terça-feira, outubro 09, 2007

Fuego cria para a Central de Transplantes

Não seria bom se, na busca por uma Sociedade mais justa, cada indivíduo ou empresa colaborasse com um pouco daquilo que sabe fazer de melhor? A Fuego Comunicação Criativa, agência de publicidade de Curitiba, acredita nisso. E, sempre que pode, coloca a sua expertise na área de comunicação a serviço da comunidade.


O exemplo mais recente desta filosofia é o material criado para a Central de Transplantes do Paraná. Ao saber que um dos maiores problemas referentes à doação de órgãos é a falta de informação, a Fuego criou roteiros e viabilizou, com a ajuda de parceiros, a produção de um comercial de TV de 30 segundos.


No roteiro produzido, um homem manifesta todo o seu desejo de ajudar alguém através da doação de seus órgãos. Por algum motivo, no entanto, ele está num local escuro e não pode ser identificado. E isso ocorre não porque ele tem vergonha do seu gesto altruísta, mas sim por que ninguém, nem mesmo a sua própria família, sabe quem ele é. A mensagem final vai direto ao ponto: “Você não sabe quem é esse doador. A família dele também não. Se você quer doar seus órgãos, avise seus familiares”.


Para Renato Kadota e Ricardo Schrappe, sócios da Fuego, ações voluntárias como esta são muito gratificantes, pois colocam a empresa como agente de transformação social. "O mais bacana é que, quando a causa é digna, muitas empresas se dispõem a ajudar", comenta Schrappe. Nesta ação, além do trabalho da Fuego, participaram de forma voluntária a produtora de filmes Corporação Fantástica, o ator Sidy Correa e a produtora de áudio Tape it Easy. Além, é claro, das emissoras de TV que veicularão o comercial.


Em tempo:

A Fuego Comunicação Criativa é uma agência de publicidade que acredita na força das idéias e sabe que boas idéias não vivem apenas na mídia de massa ou mesmo apenas na publicidade. Boas idéias resolvem problemas, geram resultados e fazem queixos caírem. Rua Visconde do Rio Branco, 1630 cjs705/706. Telefone – 41 3016-0767

http://www.fuego.com.br/

segunda-feira, outubro 08, 2007

+ 1 E-book

MARKETING ESPORTIVO

Aproveitando o assunto coloco à disposição de todos na Biblioteca Virtual do Blog mais um e-book gratuíto.

Um conteúdo interessante para você que deseja conhecer um pouco mais sobre esportes e marketing.