quarta-feira, agosto 09, 2006

COLUNA DO GEARA NO SITE RÁDIO AGÊNCIA

ESTRÉIA!

Esta semana estréia minha coluna no site Rádio Agência a convite do amigo Paulo Mai.

Toda quarta-feira você poderá ler uma nova crônica sobre o mercado publicitário que será publicada em um dos mais importantes sites da propaganda nacional.

A coluna será sempre republicada aqui no Blog mas quero pedir a você leitor que você não somente visite o Rádio Agência mas também recomende a seus amigos e parceiros de trabalho, o link para o site esta nos links do geara.

Vamos ao texto.

A mídia e o futuro da propaganda

Olá amigos do Rádio Agência.

Antes de entrar no assunto quero em primeiro lugar agradecer o convite feito pelo amigo Paulo Mai para escrever semanalmente nesta coluna.

Fico extremamente lisonjeado e espero que esta leitura seja do agrado de todos.
Minha proposta aqui é de fazer críticas e crônicas sobre propaganda, marketing e tudo aquilo que o mundo da informação tem despejado diariamente sobre nós.


Acho interessante quando alguns canais de televisão reprisam séries "CULT" de ficção científica.

Desde os tempos dos livros de Julio Verne vemos as formas de comunicação se desenvolvendo através dos tempos e alguns visionários como ele puderam inclusive, prever aparelhos sofisticados que usamos hoje em dia como se já fizessem parte de nossa cultura há anos.

Lembram do capitão Kirk de Jornada nas Estrelas se comunicando com o Dr. Spock via celular há quase 40 anos?

Pois as formas de comunicação se desenvolveram rapidamente no mundo moderno e podemos hoje, dividir o tempo de acordo com o surgimento decada uma delas.

A escrita, imprensa, fotografia, rádio, telégrafo, telefone, televisão, fax, computador, satélites, celular, internet e etc...em todas estas formas de comunicação a propaganda está presente como meio de empresas e outros anunciantes divulgarem produtos, marcas serviços.

O rádio certamente com sua intensa penetração em todas as camadas da sociedade e sua facilidade de acesso, foi umas das mídias que mais soube manejar a propaganda e desta forma levar ao público informação em larga escala, como nunca havia sido feito antes.

E hoje em dia, o peso do rádio na distribuição das verbas publicitárias ainda é muito significativo, pois ele chega aonde nem televisão, nem jornais, nem internet podem chegar.

Mas sabemos muito bem que com o desenvolvimento da tecnologia e na velocidade que isto vem acontecendo, a tendência de migração de verbas para outros meios deverá acontecer rapidamente.

A mídia impressa tem sofrido muito com estes avanços, vemos os jornais cada vez mais vazios de publicidade, nas revistas cada vez mais os veículos com comunicação dirigida tem levado a maior parte das verbas, a televisão, ah a televisão, talvez os anunciantes descubram que dar poucos tiros certeiros seja mais eficiente do quem um único tiro de calibre 12, aliás, os departamentos de mídia das agências tem grande culpa sobre a divisão das verbas e do planejamento sugerido aos clientes, concentrando o volume de anúncios na Globo e Veja, mas isto é papo para outra crônica.

Com o crescimento rápido do acesso de clientes à TV paga, a banda larga de internet sendo cada vez mais popular e a utilização do celular como meio multimídia, certamente em breve, teremos um novo padrão de comunicação.

Sem falar da comunicação direta com o consumidor nos pontos de vendas através de meios multimídia como rádios e televisão de veiculação interna, onde o mercado fala diretamente para o consumidor que está ali, na cara da gôndola de produtos.

Para terminar, temos o desenvolvimento do papel digital, a proibição gradativa da mídia exterior que contribui para a poluição visual das cidades e o surgimento de novas tecnologias que incorporam informação ao embelezamento decorativo de ambientes e de logradouros públicos.

A mídia tem que passar por um processo de reciclagem e acompanhar de perto o avanço da tecnologia da informação e está nas mãos das agências a grande responsabilidade de levar ao cliente o melhor.

Já foi o tempo que pagar pela quantidade era o que mais valia, qualidade é o que hoje se espera.

O profissional de mídia não pode ser mais tão passivo como tem sido nos últimos anos, ele tem que deixar de ser um mero executor de planos previamente concebidos pelo cliente e se transformar num vendedor de novas idéias de mídia e as recomendar; isto fará bem não só para o cliente que terá acesso a novos meios, fará bem certamente às agências que certamente terão no mídia um promotor de novos negócios e também para o próprio profissional, que verá seu perfil de atuação ampliado e mais valorizado.

Até semana que vem e prepare o seu coração...
Vem aí o horário eleitoral...
Aff!!!

2 comentários:

Aline Lopes disse...

Puxa, George, me surpreendeu o que temos em comum... amor pelo mkk, trabalho com agëncias, consultoria e principalmente, amor pela escrita (pelo tamnaho do texto dá pra notar). Sou profissional de mkt há 03 anos, trabalhei em televisáo, jornal (revisão), revista (redação) e agora estou em uma agëncia de publicidade. Procuro desafios na minha carreira. Portanto, um contato som um profissional do seu calibre me ensinará muito dessa nossa maravilhosa área. Abraços.

George Geara disse...

Oi Aline,

Obrigado pelos elogios.

Pois é, amar o que fazemos é fundamental não só para o nosso rendimento profissional mas também para nossa felicidade pessoal.

Use e abuse do Blog com comentários e se tiver vontade de escrever algo com mais consistência me envie o texto pelo e-mail abaixo que publicarei com todos os créditos para você.

Ah! Conto com sua ajuda para divulgar o Blog entre a galera da sua agência.

Abraços,

George

geara@msn.com